Dica Técnica

Dez hábitos que desgastam seu carro.

Dez hábitos que desgastam seu carro.

Dez hábitos que desgastam seu carro.
Desgaste natural existe em qualquer tipo de bem de consumo, mas desgaste precoce é totalmente evitável se você seguir algumas regras básicas. Quando se trata de carros, esse assunto deve estar sempre em pauta para evitar gastos desnecessários, pois no geral, as peças são caras e a perda no valor total do carro também é consequência da falta de conservação. Isso poderá obrigar, numa possível venda, a diminuição do preço e a perda no poder de barganha. A seguir listamos dez hábitos que podem desgastar o seu carro.

1. Mau uso da embreagem
Deixar a embreagem muito alta ou muito baixa pode gerar manias ou cuidados desnecessários. No caso da embreagem muito alta, o motorista precisa soltar mais o pé para encontrar o ponto de arranque, o que faz, muitas vezes, pela falta de paciência ou experiência, arrancar com o carro um pouco desembreado, forçando o disco platô, rolamentos e molas, sem falar nos pneus que irão patinar.

Quando a embreagem estiver baixa, o motorista com pouca experiência poderá ficar com receio de o carro apagar e acelerar antes de atingir o ponto do motor, causando os mesmos danos já citados. Além desses desgastes, esse costume poderá gerar uma mania e isso acompanhar o motorista, mesmo quando já tiver segurança no uso da embreagem.

2. Deixar a mão sobre o câmbio com o carro rodando
Além de ser contra as leis de trânsito, esse hábito gera um desgaste no trambulador da caixa de marchas, pois ele fica acionado sem necessidade. Nem precisa explicar que quanto maior o uso, menor a vida útil. Um dos sintomas dessa mania é alguma marcha escapar com o carro em movimento.

3. Deixar o tanque vazio ou demasiadamente cheio
Se nunca estourou a bomba de combustível de um carro, experimente deixar andar muito tempo na reserva ou com o tanque quase vazio. Esse hábito fará com que o ar entre na bomba e a desgaste com maior rapidez. O tanque cheio demais poderá acarretar outros problemas indicados pelo fabricante. Por isso abasteça até no momento em que o veículo avisar que o tanque está completo.

4. Ao estacionar, bater no meio fio
Esse é um cuidado que deve ser tomado principalmente em estacionamento em diagonal, pois esse toque poderá forçar uma parada brusca e uma avaria no pneu do carro. Se isso for habitual, poderá alterar o alinhamento e o balanceamento dos pneus, ou até mesmo deslocar um pneu obrigando a troca para evitar maiores desgastes.

5. Arrancadas e freadas bruscas
Nos dois casos o desgaste dos pneus é iminente por causa da necessidade de contato maior do pneu com o solo. Isso faz parte da aderência necessária para um bom desempenho do sistema de freios. Sem contar que, caso os pneus já estejam desgastados, o risco de acidente é maior. Para evitar freadas bruscas sempre cumpra com as leis de trânsito.

6. Pneus desgastados, falta de balanceamento e geometria no carro
O pneu desgastado obriga maior força no sistema de direção e frenagem. A falta de balanceamento e geometria fará com que aconteçam deslocamentos nos pneus e a possível quebra de peças como amortecedores e homocinéticas. O risco de acidente, nesses casos, é muito grande.

7. Fazer o carro funcionar no tranco
O famoso tranco poderá resolver um problema pontual, mas nunca será a solução dos problemas. Ao contrário, poderá ocasionar muitos outros, principalmente no sistema de injeção do veículo, alternador e todo o sistema elétrico.

8. Falta de manutenção de rotina
Todo o tipo de manutenção é importante, por isso que é necessário ficar atento a qualquer sintoma que o carro apresente. Deixar peças estragadas ou algum sistema funcionando com sua capacidade limitada, poderá apresentar um efeito dominó ou cascata, pois acarretará em novos problemas. Isso vale para amassados, em caso de pequenos acidentes e para troca de filtros, como o de óleo, ar, combustível e ar-condicionado.

9. Falta de troca de óleo ou do líquido de arrefecimento
O óleo é o que mantém a vida útil de um veículo, pois é o principal lubrificante do funcionamento do motor, junto com as graxas específicas para cada peça. Secar o óleo significa "rodar no seco" e o risco de pane no motor é muito presente. Troque os filtros a cada duas trocas de óleo.

O líquido de arrefecimento equilibra a temperatura do motor. Mantém a temperatura da água, para que, quando a água ferver, o motorista saiba que existe um problema no sistema de resfriamento.

10. Falta de lavagem e cuidados
Lavar o carro a cada pouco tempo ou sempre que visitar um local arenoso ou com muito barro é essencial. A areia é um dos principais venenos para a lataria e para peças do motor. Por isso, sempre que ir à praia ou passar perto de um local com areia, lave o veículo imediatamente. Para quem vai à praia ou mora próximo a uma, é importante lavar todos os dias.

Essas são algumas dicas, mas o importante é prestar atenção a todo o sintoma apresentado pelo veículo e nos cuidados diários. O ideal é manter o veículo sempre em bom estado de conservação e substituir as peças desgastadas por peças novas sempre que necessário. A partir daí, basta criar uma rotina de cuidado que, além de manter o veículo em bom estado e seguro, fará uma economia muito maior, pois evitará gastos desnecessários com mecânica.

Voltar

Telefones

  • (31) 3388-6966
  • (31) 3504-6967
  • (31) 97544-7209
  • (31) 99944-6966